Home Saúde Prefeitura orienta sobre cuidados para evitar hepatite A nas crianças e adultos

Prefeitura orienta sobre cuidados para evitar hepatite A nas crianças e adultos

6 min read
0
0
29

A alta de casos de hepatite A em alguns estados do País traz um alerta para a importância dos cuidados visando evitar a doença. Diante disto, a Prefeitura de Fortaleza reforça, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), as formas de prevenir essa doença, que pode afetar crianças e adultos de todas as idades, inclusive, neste período que antecede as festividades do Carnaval com grandes aglomerações.

A doença

A hepatite A é uma infecção causada pelo vírus A (HAV) da hepatite, também conhecida como hepatite infecciosa. Na maioria dos casos, trata-se de uma doença benigna, mas o curso sintomático (os sintomas que vão surgindo) e a letalidade aumentam com a idade. A transmissão se dá pelo contato de alimentos ou água contaminada.

Não há tratamento específico para hepatite A, mas é importante evitar a automedicação para alívio dos sintomas, pois o uso de medicamentos desnecessários ou que são tóxicos ao fígado pode piorar o quadro.

Orientações

De acordo com a coordenadora de Imunização de Fortaleza, Vanessa Soldatelli, a vacina contra hepatite A é o método mais eficaz de prevenir a doença. Ela está disponível no Sistema Único de Saúde (SUS), como dose única, para crianças de 15 meses até 4 anos, 11 meses e 29 dias de idade. Em 2023, 23.109 doses do imunizante foram aplicadas neste público-alvo, o que equivale a 73% da cobertura vacinal.

As crianças não imunizadas ou que não possuem a comprovação ou cujos responsáveis não recordam da aplicação da vacina também podem ir aos postos de saúde e se proteger.

Os sinais de alerta com relação aos sintomas, que podem atingir adultos e crianças, são dor abdominal e a icterícia, que é quando a pessoa fica com aspecto amarelado, principalmente na área dos olhos e unhas. Há casos em que há sangramentos e fezes muito claras.

Confira os cuidados para evitar a hepatite A

– Lavar as mãos frequentemente, sobretudo depois de ir ao banheiro e trocar fraldas; e, claro, antes de comer e de preparar refeições;

– Higienizar com água tratada, clorada ou fervida os alimentos que serão consumidos crus. Deixe os alimentos de molho por 30 minutos;

– Garantir o cozimento adequado dos alimentos antes de consumi-los, principalmente os frutos do mar;

– Lavar pratos, copos e mamadeiras com cuidado após o uso;

– Evitar contato com chafarizes, água de enchentes e esgoto a céu aberto;

Atendimento

Em casos leves, o tratamento pode ser feito com repouso e hidratação. Em casos graves, pode ser necessária a internação hospitalar para monitoramento e tratamento de complicações.

Pessoas com sintomas leves devem procurar os postos de saúde; já com sintomas mais moderados, as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

Kátia Alves

Editora-chefe do Contexto Notícias é jornalista formada pela Unifanor em 2006, pós-graduada pela Unichristus em MBA em Gerência de Marketing, Assessoria de Comunicação pela Estácio e Língua Portuguesa pela UniAteneu. Foi jornalista da TV Verdes Mares, TV Fortaleza e TV Ceará. Passou pelos site Pirambu News (@pirambunews) e Somos Mídia (@somosmidia). Passou pelas assessorias do Instituto Isa Magalhães e Superintendência Federal de Agricultura. Atualmente, também trabalha no site Conexão 085 (@conexao085oficial).

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Kátia Alves
Carregar mais Saúde

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − cinco =

Verifique também

Circo Americano faz Espetáculo Inclusivo no próximo domingo (3)

Durante o show, as luzes do picadeiro e da plateia serão suavizadas, a trilha sonora será …